Japão aprova o uso de espelhos digitais

Enquanto os designers se esforçam para eliminar a necessidade de espelhos laterais nos concept cars usando sistemas de “espelhos digitais”, no mundo real, as coisas têm acontecido um pouco de maneira diferente.

Um bocado contra a tendência do uso de câmeras para substituir estes elementos, as marcas começaram a oferecer espelhos maiores e mais largos, dentro dos padrões de segurança, para melhorar a visão envolvente dos veículos.

Uma coisa é certa em determinado momento os espelhos de vidro vão ser coisa do passado, e as companhias vão abandona-los em detrimento de sistemas de imagem digitais, mas enquanto isso não acontece os espelhos convencionais irão prevalecer.

O sonho passou a realidade

No entanto no mês passado, a ideia passou a ser realidade, pois o Japão tornou-se no primeiro país do mundo a regulamentar o uso de câmeras em vez de espelhos.

“Espelhos digitais”, provavelmente, nos próximos anos irá ser uma enorme fonte de receita tanto para  empresas tecnológicas que os constroem assim como para as que os distribui. O Japão viu essa potencialidade e com esta decisão deixa as empresas Japonesas em lugar privilegiado nesta corrida.

À parte da probabilidade de se tornar uma industria bastante lucrativa, os sistemas baseados em câmeras têm outras vantagens. Reduzem a resistência ao ar dos veículos, melhorando assim os consumos dos mesmos, e vamos deixar de ter os chamados pontos mortos que existem com o sistema actual.

Quanto ao aspecto isso já fica ao gosto de cada um, ver carros amputados de um ornamento tão comum em favor dos “espelhos digitais” vai provocar alguma estranheza nos primeiros tempos, mas vamos ver o que os designer nos reservam quanto a isto.

Relacionados com esta noticia

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notificar de