Próximo Mercedes-Benz G-Class não aparenta grandes mudanças

Quanto mais as coisas mudam, mas elas ficam igual. Pelo menos é o que diz o ditado. As mudanças ao icónico Mercedes-Benz G-Class, não são muito frequentes, e quando são feitas são tão pequenas que por vezes é difícil distinguir o que foi mudado. Mas isso acontece por uma boa razão. Porque é que haveria a Mercedes-Benz alterar, aquilo que foi e continua a ser um modelo popular com bastante saída? É que nem sempre a mudança é boa, e apesar dos avanços na segurança, praticabilidade e eficiência nos SUVs, o G-Class sempre encontrou o seu cantinho no mercado. Mas a idade começa a pesar e quando já se aproxima dos 40 anos, os medos vão pela janela fora, e por isso, a Mercedes-Benz decidiu trazer um novo modelo para actualizar definitivamente o G-Class. Aparenta é que, as diferenças não vão ser assim tão grandes.

Apesar da camuflagem, conseguimos ver que a forma geral do SUV, assemelha-se bastante ao já existente, mas conseguimos ver algumas diferenças. Por exemplo este novo G-Class, é mais largo, para aumentar o espaço a bordo, algo que era um grande calcanhar de Aquiles neste SUV. Para termos noção este SUV tem 184 centimetros de largura, algo que nos dias recentes, é muito pouco, quando um Land Rover Discovery tem mais de 2 metros. De resto, as alterações parecem ser mais uma evolução do que uma revolução. As linhas continuam direitas e os ângulos, ainda aparentam ser de aproximadamente de 90 graus.

O G-Wagen sempre foi um jipe de contrastes, as pessoas ou o adoram, ou o odeiam, mas nunca poderemos dizer que vai ser mudado  por já não ser capaz. O que lhe falta, é refinamento em certas áreas, como ter um andamento mais suave, não ter um sistema de fecho automático, que cada vez que é activado, pareça que estamos a preparar uma arma para disparar, ou ter portas que exigem halterofilismo para as abrir.

Existem ainda rumores que o novo modelo terá menos 400 quilos, comparado com o corrente. Sendo de facto uma redução drástica, dado o aumento do tamanho do SUV, não é de admirar, dada a evolução que os materiais de construção tiveram nos últimos 40 anos, em que o G-Wagen continuou a usar a velha receita. Também, sem admirações, dizem que a condução será drasticamente melhorada visto, já não ter um chassi de 40 anos.

A popularidade do G-Wagen, vem de ser um SUV que relembra os “bons velhos tempos”. Se comprasse um em versão AMG, teria performance em linha recta, mas curvas seriam para esquecer. Quase como um carro americano dos anos 70. Muito barulho e potência, mas nada de curvas. Agora com nova geração, o objectivo é dar ao G-Wagen uma condução mais actual, nova suspensão e um novo motor AMG de 4 litros de 8 cilindros. O que não mudará é o processo de fabrico. Continuará a ser construído à mão na Áustria.

Ficamos à espera de ver se o esforço da Mercedes-Benz valerá  a pena, trazendo o G-Wagen para o século XXI.


Relacionados com esta noticia

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!

Notificar de
avatar
wpDiscuz