Vai comprar carro em segunda mão? Não se deixe enganar…

Comprar um carro em segunda mão pode ser uma forma de deixar um bom dinheiro no bolso, no entanto, a sua compra exige cautelas redobradas em relação à avaliação do estado geral da viatura para que se faça um bom negócio.

Comprar carro num vendedor de confiança

É verdade que sai mais caro comprar um carro na marca ou num bom stand automóvel se compararmos com o preço de um carro comprado a um particular. Sim, estamos a pagar mais caro mas estamos a economizar nos riscos futuros.

maxresdefault

Por isso o primeiro passo na compra é procurar referências. Por amigos, parentes ou pela confiança de uma marca.

Aspecto geral exterior

Para fazer esta análise procure por começar por escolher bem o local onde vai fazer uma inspecção geral exterior ao carro. E o conselho que damos é evitar locais com pouca luz, não fazer negócios durante a noite e nem em dias de chuva.

car-lamborghini-rear-water-drops-rain-hd-wallpaper

Depois:

Verifique de uma forma geral se não existem pontos de ferrugem nas quinas, portas e principalmente nas zonas de escoamento de água. Passe para uma verificação do capo e portas. Estes devem fechar e abrir corretamente sem desvios ou dificuldades. Se notar algum tipo de anomalia será um possível sinal de um embate anterior da viatura. Outro sinal que pode ser revelador de acidente são as diferenças de tonalidades na cor da pintura. Verifique estes dois pontos sempre com muito cuidado e detalhe.

Outro ponto importante a verificar são os faróis. Tenha cuidado se estes estão a funcionar corretamente e principalmente se apresentam desalinhamentos rachas.

Menos importante sim, mas verifique também a existência da roda sobresselente ou de um outro kit como por exemplo, compressor ou kit de reparação.

Debaixo do capô

Apesar de atualmente os carros trazerem tampas e proteções aos motores é na mesma possível fazer uma análise e avaliação geral.

E as dicas são:

Comece por retirar as tampas de protecção que usualmente são de fácil remoção. Normalmente é um parafuso de plástico central e com um jeito para um lado e outro e tiram-se os encaixes. Verifique se o carro se encontra sujo ou babado com marcas de óleo. Se estiver demasiado limpo sem pó desconfie. Ainda sobre o motor verifique o nível do óleo e a sua cor. Poderá dar uma ideia se o antigo dono era cuidadoso nas revisões…

Outros dois aspectos importantes a verificar é o liquido de refrigeração do motor e se este se encontra com sujidade ou com sinais de deterioração do depósito e a bateria e correspondente data de validade. Poderá ser sempre um bom motivo para tirar mais uns 100 euros ao preço final do carro.

Se depois destas dicas não se sentir confiante para avaliar o estado do motor leve um mecânico de confiança ver a viatura antes de fechar negócio.

 

Dentro do veículo

Passando para o interior do carro existem vários pontos que nos podem ajudar a verificar o estado geral da viatura.

Os estofos e o volante são os principais pontos merecedores de uma observação cuidada. O seu desgaste (esquecendo um pouco a questão da melhor ou menor qualidade dos materiais) vai ser proporcional aos kms do carro. Por isso se vir um carro com poucos km e com os estofos ou o volante com muito desgaste não se deixe enganar e desconfie.

As restantes dicas passam por experimentar absolutamente tudo que estiver no interior do carro. Desde todos os botões, acessórios, espelhos, luzes no painel, vidros e também o fecho central.

Em carros mais antigos outro ponto evidenciador de desgaste será folgas na direção. Mexa o volante em ambos os sentidos e sinta se a resposta das rodas é imediata e precisa.

Em teste de circulação

Nunca feche negócio sem dar uma volta com a viatura e fazer vários testes.

O primeiro teste passa por testar o carro em circuito urbano, ou seja em estradas mais acidentadas com paralelos. Todos os barulhos que o carro possa ter serão sentidos com mais intensidade num piso irregular.

Verifique possíveis folgas no sistema de direção girando o volante em ambos os sentidos, arrancando para a frente e para trás.

Faça um arranque mais violento para verificar se a embreagem responde sem patinar. Além do arranque faça também uma travagem mais violenta para verificar se o carro se encontra estável e não foge para nenhum lado ao travar. Deve ainda testar os travões a uma velocidade mais elevada com uma travagem suave para verificar um possível empeno nos discos dos travões. Se notar uma vibração no volante nessa travagem será um possível sinal de desgaste ou empeno dos discos.

Por fim verifique ainda em reta e numa estrada com uma largura considerável dar guinadas com o volante largando de imediato a direção. O carro deverá voltar ao alinhamento que seguia sem desvios para um ou outro lado.

 

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!

Notificar de
avatar
wpDiscuz