Este até era um carro que eu até gostava de ter – Parte 4

Depois de algumas semanas de paragem, trago até vós esta humilde crónica, intitulada de “Este até é um carro que eu gostaria de ter”. Numa altura da vida em que vejo grande parte das pessoas do meu ciclo de amigos a casar, deparei-me com um dúvida, e se fosse eu a querer casar e ter filhos que carro é que compraria? Claro que era apenas uma dúvida existencial, mas não deixa de ser uma questão curiosa e que poderá ser útil a vários de vós.

A primeira dúvida foi qual o segmento pelo qual deveria optar? Claro que esta escolha vai depender sempre do gosto e da necessidade de cada um, mas tendo em conta uma família normal portuguesa, teria que ser um carro com capacidade para 4 pessoas 2 adultos e 2 crianças, aqui poderíamos optar por uma carrinha ou por um crossover, caso tivesse que adicionar um animal de estimação ou uma sogra à equação se calhar já seria necessária aquisição de um monovolume.

Assim sendo tentarei pegar em cada um destes 3 segmentos e indicar qual seria o veículo que eu compraria em cada um dos casos.

Carrinha

Começa aqui o meu dilema, pois posso existem dois modelos pelas quais tenho uma certa tendência, poderia optar por uma carrinha sóbria com um design elegante e com um ar sofisticado, ou posso optar pela reacção emocional e optar por algo que embora seja um carro familiar também mantenha o perfil desportivo, ou seja, a minha dúvida estaria entre uma Volvo v60 ou uma BMW 320d.

 

 

 

 

 

Depois de alguma ponderação deixei-me levar pelo meu ar mais emocional e sedento de emoções fortes, acabando a minha escolha por recair na 320d. Com os seus 180cv, tracção traseira e acabamentos provenientes do pack M, esta seria a minha escolha como carrinha familiar.

Crossover

No campo dos crossovers volto a ter novamente algumas dúvidas, pois tenho 2 modelos dos quais gosto bastante. Poderia optar pela escolha óbvia e líder de segmento, o Nissan Qashqai, ou pelo novo candidato ao título, o Seat Ateca.

 

 

 

 

 

 

Em relação ao primeiro não há muito a dizer, é um carro conhecido do público português e é nele que recai habitualmente a escolha quando a questão é a aquisição de um carro deste segmento. No entanto a minha escolha recai no novato Espanhol. Aqui os argumentos que levam à escolha deste modelo são em tudo semelhantes ao da escolha da 320d. Tem um ar mais jovem e arrojado, a lista de equipamento é infindável, e no que toca a motorizações, a escolha recairia num 2.0 TDI de 150cv, visto a opção de 190cv e tracção integral não se justificar.

Monovolume

Antes de mais devo dar um voto de força a todos aqueles que tiveram que comprar um monovolume por causa de uma sogra. Devo admitir que nunca me imaginei ao volante de um monovolume, mas vou tentar fazer esse esforço, e tentar fazer uma escolha racional. Aqui, as escolhas são infindáveis, desde a Volkswagen Touran, Opel Zafira, Ford S-Max, Peugeot 5008 e Citroen C4 picasso.

 

 

 

 

 

Tendo em conta todos os argumentos que cada uma destas soluções apresenta, a minha escolha vai recair na líder de segmento e escolheria a carrinha Americana, não só por ser a mais atractiva do mercado, mas também por me parecer a que oferece mais espaço interior e para quem compra um carro deste segmento este é um factor decisivo.

Relacionados com esta noticia

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!

Notificar de
avatar
wpDiscuz