Como prolongar a vida útil de um automóvel.

A fiabilidade de um carro, vai muito para além da marca, ou da qualidade que esta possa ter. Tal como o nosso corpo, se não tivermos bons hábitos, certamente a longo prazo iremos ter problemas de saúde e com os carros não é diferente.

Para garantirmos que temos um carro saudável e que este não nos vai dar dores de cabeça, com avarias e desgaste prematuro de algumas peças, é necessário cuidar dele e isso, vai muito mais além, do que fazer as revisões atempadamente.

Por isso mesmo, hoje damos algumas dicas, para não provocar um desgaste prematuro nem ao seu carro, nem à sua carteira.

Já subscreveram o nosso canal no Youtube?

Ligar o carro e arrancar

Se há 30 anos era necessário ligar o carro e esperar 10 minutos para que este “aquecesse”, hoje em dia, tal espera deixou de ser necessária. Embora esta ainda seja uma questão que divide opiniões, com a tecnologia existente,  tal espera não é necessária e quase que podemos arrancar de imediato com o carro.

No entanto, deve ter-se em atenção, que nos primeiros minutos, não devemos exigir muito do motor, pois o óleo ainda não está na sua temperatura ideal e os componentes do motor, ainda não se encontram devidamente lubrificados.

Ligue o carro e arranque, mas siga com calma para não provocar o desgaste prematuro dos seus componentes.

Acelerar para aquecer o motor

Tal como falámos no ponto acima, ligar o carro e exigir dele um comportamento desadequado, provoca o desgaste prematuro de alguns componentes, devido à falta de lubrificação.

Esta regra tanto se aplica com o carro em movimento, como com ele parado, pelo que, acelerar o carro enquanto este se encontra parado, também não é saudável para o motor e seus componentes.

Veja ainda: Os 5 elementos de manutenção do seu caro que mais pesam no bolso

Circular a baixas rotações

A faixa de utilização ideal de um motor, varia com as suas características, mas normalmente, esta situa-se entre as 1500rpm e as 3000rpm, especialmente se estivermos a falar de motores a diesel. Nos carros a gasolina, este valor tende a ser mais alto.

Da mesma forma que não é benéfico conduzir sempre com o ponteiro a roçar o redline, circular abaixo da faixa ideal de funcionamento de um motor, coloca-o em “esforço” para vencer os pontos mortos  e a inércia existente em algumas peças.

Além disso, conduzir demasiado devagar provoca maior acumulação de resíduos na mecânica, o que a longo prazo, também prejudica a saúde do carro.

Andar sempre com o carro na reserva

O combustível está longe de ser um fluído limpo e livre de impurezas, este contém diversos sedimentos que não são benéficos para o motor do vosso carro.

Mas a gravidade ajuda neste ponto, pois normalmente, os sedimentos acabam por repousar no fundo do depósito. No entanto, se andarmos muitas vezes com o carro na reserva, a concentração desses sedimentos irá ser maior, o que aumenta a probabilidade destes serem “sugados” para o circuito de combustível.

Se isto acontecer de forma repetida, componentes como filtro e bomba de combustível virão a ser afectados e visto que a maior parte dos carros possui injectores, este cuidado deve ser redobrado.

Dada a sua sensibilidade às impurezas, estes tendem a ficar obstruídos e a entupir, o que tem um custo de reparação bastante alto.

Por muito que custe atestar o carro, uma intervenção a nível dos injectores, irá ficar bem mais dispendiosos do que andar sempre com o depósito cheio.

Desligar o carro imediatamente após parar

Este é um dos erros mais comuns cometidos pelos condutores que possuem carros sobre-alimentados por um turbo. Desligar o carro imediatamente após uma viagem, onde exigimos um maior esforço por parte do motor, é tão ou mais prejudicial, do que arrancar com o carro logo de manha e exigir dele utilizações em regimes altos.

O turbo tal como outros componentes num motor, é lubrificado, no entanto, este processo acontece por chapinhagem, o que quer dizer que quando se desliga o motor, este componente deixa de ter óleo para o lubrificar.

Isto é particularmente mau, pois ele continua a funcionar mesmo após o carro ser desligado.

Visto que este atinge rotações bastante altas, caso se desligue o carro após uma viagem intensa, a sua turbina irá continuar a rodar livremente, sem que haja lubrificação, o leva ao seu desgaste.

Para evitar isto, devemos parar o carro, esperar uns momentos para que a ventoinha do turbo baixe a sua rotação, para assim, podermos desligar o carro sem danificar o tubo.

 

 

Relacionados com esta noticia

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notificar de