O novo motor da Renault, foi criado em conjunto com a empresa-mãe da Mercedes e da Smart, a Daimler. O motor, que se estreará na Renault Scenic e Grand Scenic, é um Energy TCe a gasolina, com 1,3 litros de capacidade sobrealimentado por um turbo. Dado que esses carros não são pequenos, o trabalho do motor não vai ser fácil, mas ainda assim, os engenheiros conseguiram espremer 160cv deste pequeno motor.

Mas se nos números a potência parece não ser problema, o cenário muda de figura, quando passamos a ter um carro cheio de bagagem e passageiros, aí, podemos dizer adeus à potencia deste motor, pois o grande desafio para vão ser as subidas, onde nas mais íngremes, vamos precisar de recorrer à caixa de velocidades para compensar a falta de pulmão deste novo motor da Renault, o que acaba por comprometer os consumos finais.

Veja ainda. Renault reforça investimento nas tecnologias eléctricas

Serão oferecidas três variantes, uma com 114cv, uma com 140cv e a mais potente terá 160cv e 260nm de binário, a partir das 1750rpm.

Uma das novidades para este motor, é o facto de ter pedido alguma tecnologia emprestada ao Nissan GT-R. A nova unidade 1.3, possui a Bore Spray Coating usada no carro japonês, esta técnica permite reduzir o atrito do pistão, optimizando assim a transferência de calor através do bloco.

Há ainda uma redução simbólica nas emissões de carbono em relação aos motores antigos – 7g / km no Scenic de cinco lugares e 11g / km no Grand Scenic de sete lugares.

Uma das grandes incógnitas é saber quais os modelos da Daimler que usarão este motor, mas tudo indica que um dos modelos escolhidos será o próximo Mercedes Class-A.

Sigam-nos no Facebook e subscrevam o nosso canal no Youtube