McLaren

Normalmente por detrás do logótipo de uma marca de automóvel, existe uma história interessante, como o cavalo empinado da Ferrari e o brasão da Porsche. Mas e qual a história do logótipo da McLaren?

A Carfection procurou responder a essa pergunta num vídeo e a resposta é tudo menos directa.

Existem três explicações. Uma é a história “oficial”, que o logótipo representa os vórtices decorrentes da aerodinâmica de seus carros, aquelas rajadas de ar saindo da cauda que você pode ver no túnel de vento. E pode ser realmente isso, mas não é toda a história.

Veja ainda: Acidente com um McLaren durante experiência de condução

A forma evoluiu a partir de dois ícones do passado da McLaren: o logótipo da Marlboro e o pássaro Kiwi. A empresa de tabaco foi em grande parte responsável por reunir as empresas de Ron Dennis e Bruce McLaren para formar a equipe de corridas de F1 que conhecemos hoje, e permaneceu um dos seus principais patrocinadores durante anos. Esse logótipo parece uma evolução do emblema da Marlboro, embora ninguém em Woking venha a admitir isso. Especialmente desde que Marlboro partiu para a Ferrari.

O outro é o pássaro Kiwi que Bruce McLaren colocou em todos os seus carros. Os passarinhos pequenos e sem asas são uma espécie de emblema nacional na Nova Zelândia, e foram consistentemente representados de forma cada vez mais simples em cada uma das maravilhas mecânicas que Bruce foi fazendo ao longo da sua carreira.

A verdade, como na maioria dos casos, provavelmente leva elementos de cada um. Veja o vídeo e a explicação demonstrada, para tentar encontrar aquela que possa parecer a mais correta.

Sigam-nos no Facebook e subscrevam o nosso canal no Youtube

Fonte: CarScoops