Se olharmos para trás uns anos, parece difícil encontrar um carro francês capaz de rivalizar com os alemães mais potentes. No entanto, existiram alguns resistentes, que decidiram lutar contra a inercia e tentaram fazer frente à investida alemã.

Um desses modelos, foi o Renault Safrane Biturbo e no início dos anos 90, a Renault decidiu que o seu topo de gama, merecia uma vertente mais musculada e potente.

 

Já subscreveram o nosso canal no Youtube?

 

Eles pegaram num Safrane normal e colocaram-lhe um motor V6 atmosférico que debitava 170cv. Entregaram então o carro à empresa de tuning alemã Hartge, que decidiu colocar 2 turbos no V6 e acoplar um sistema de tracção integral.

Com este tratamento, o Safrane Biturbo, passou a debitar 268cv e 363nm de binário. Tornando-o assim, no carro de produção mais potente construído em França, até ao ano de 2016, quando o Peugeot RCZ R, lhe roubou o titulo, por apenas 2cv.

Com este output, o Safrane Biturbo fazia dos 0-100km/h em 7,2 segundos e registava uma velocidade máxima de 250 km/h, números interessantes mesmo tendo em conta, que o carro pesa mais de 1800kg.

Em 1994, ele era já disponibilizado com amortecedores ajustáveis ​​electronicamente, que baixavam a altura do carro para melhorar a sua aerodinâmica e a aumentavam, caso tivesse que rolar numa estrada mais acidentada.

Por fora, a Renault deu-lhe um aspecto subtil, onde incluíram um kit exterior mais agressivo, um spoiler traseiro e jantes de 17”, o suficiente para mostrar que este não se tratava de um Safrane normal.

Tudo isto combinado, deveria ser o suficiente para tornar este carro um sucesso de vendas, certo?

Ao que parece não, pois as vendas foram reduzidas e o Safrane Biturbo não conseguiu fazer frente à armada alemã, onde nunca se chegou a impor, como um verdadeiro candidato.

A verdade, é que este Safrane biturbo, apresentava-se com um V6 e uma caixa manual que não era a mais comunicativa, enquanto os seus rivais alemães, já se apresentavam com motores V8 e transmissões automáticas, que acabavam por cativar os consumidores finais.

Apenas 806 Safrane Biturbos foram produzidos durante os seus dois anos de vida útil. E uma pesquisa rápida nos classificados, mostra que existem apenas 6 para venda na Europa, custando cada um, cerca de 15000€.

Eu acredito que o Safrane não tenha sido desenvolvido, para bater tempos em pista, foi feito sim, para cruzar a França de norte a sul a 250km/h, com uma mão no volante e em absoluto conforto.