O conversor catalítico, mais conhecido na giria como catalisador, foi introduzido nos carros nos anos 70 e tem sido utilizado desde então. A sua principal função, é reduzir as emissões produzidas pelos carros, de forma a que estes sejam mais amigos do ambiente.

Já subscreveram o nosso canal no Youtube?

Nesta foto, podemos ver onde é que o catalisador fica situado na linha de escape de um veículo.

Com a sua utilização continuada, ao fim de alguns milhares de quilómetros, este começa a ganhar sujidade no seu interior, o que faz com que este fique entupido e crie um impedimento na circulação dos gases.

Existem algumas pessoas, que devido ao seu preço no momento da substituição, ou apenas, para por o carro fazer mais barulho ou deitar mais fumo, optam pela sua remoção.

Embora este procedimento seja ilegal, existem algumas maneiras de enganar quer a polícia, quer os inspectores da IPO.

Existem no entanto, catalisadores “desportivos”, onde estes são mais finos e têm uma superfície mais lisa, o que permite que os gases fluam mais suavemente, permitindo assim um maior fluxo, mas mantendo sempre o carro mais amigo do ambiente.

Mas como é que um catalisador é por dentro? Neste vídeo, o catalisador é dissecado e podemos ver as suas entranhas, para assim, compreender um pouco melhor a sua constituição.

Para entender o que acontece num catalisador, deixamos um vídeo da Donnut Media, onde todo o processo de conversão de gases é explicado e onde vamos entender, o porquê de este ser um elemento chave na preservação do ambiente.