junta da cabeça

O termo “junta da cabeça queimada”, é um termo que muitos de vocês já ouviram numa ida ao mecânico. Este é um daqueles diagnósticos que ninguém gosta de ouvir e que normalmente, vem associada a uma factura bastante dispendiosa.

A junta da cabeça ou junta da colaça, situa-se entre o bloco dos cilindros e a cabeça do motor. Este componente, é responsável pela separação do óleo que lubrifica o motor e a água que serve para o refrigerar.

Já subscreveram o nosso canal no Youtube?

Estas, podem ser feitas de diferentes materiais, algumas são construídas utilizando ligas metálicas, outras, de compostos à base de cortiça e materiais impermeáveis, que são também resistentes ao calor.

A avaria deste componente pode dever-se a inúmeras causas, que podem ser facilmente detectadas e evitadas, neste artigo, vamos entender o que pode causar a avaria e como a podem detectar.

Principais causas

Uma falha no sistema de refrigeração, poderá ter diversas causas, no entanto, o resultado é sempre o mesmo e acaba por resultar num deficiente arrefecimento do motor, o que leva a que este sobre-aqueça.

Para evitar o pior, deverá verificar regularmente o nível do líquido de refrigeração. Caso o nível baixe, deverá verificar se existe alguma fuga, pois em situações ideais, o circuito é fechado e as perdas deverão ser mínimas.

Em primeiro lugar, deverá verificar se as tubagens se encontram em bom estado, pois em carros com mais idade, estas tendem a ficar secas o que leva ao aparecimento de micro-fissuras.

Para tal, poderá fazer um teste de pressão ao circuito, para ver se existem fugas quer nas juntas, quer nas próprias tubagens.

Outro local que deve verificar, é o próprio vaso onde o líquido de refrigeração é armazenado, pois por vezes, este pode estalar com as variações de temperatura ou até mesmo, ter o vedante da tampa danificado, o que pode provocar fugas de vapor.

Outro ponto sensível são os radiadores, quer o principal que é responsável pelo arrefecimento da água, quer o da sofagem, que também está integrado no circuito de refrigeração. Caso estes apresentem fugas, deverão ser substituídos.

Como evitar

Em primeiro lugar, nunca deve colocar água no sistema de refrigeração, esta contém minerais que com o tempo, acabam por oxidar quer os radiadores, quer as tubagens metálicas que se encontram no sistema de refrigeração.

Deverá usar um liquido próprio para o efeito e este, deverá ter as propriedades indicadas pelas marcas. Normalmente, o liquido de refrigeração tem cores diferentes.

Caso coloque água no sistema, esta deverá ser removida o quanto antes e nunca deverá ser vista como uma solução permanente. Par além do indicado em cima, a água tem um ponto de ebulição e de congelamento que fazem com que as suas propriedades físicas, sejam facilmente alteradas.

Os líquidos de refrigeração, são muito mais estáveis nesse sentido, permitindo pontos de ebulição mais altos e pontos de congelação mais baixos. Em climas mais frios, a água congela mais facilmente o que leva à interrupção do sistema de circulação e pode levar mesmo à rotura de um dos seus componentes.

Principais sintomas

O principal sintoma é o aquecimento do motor, caso note que o ponteiro da temperatura passou os 90º, pare de imediato o carro e deixe que este arrefeça.

Nunca abra o reservatório da água enquanto este está quente, pois pode resultar em queimaduras graves.

Outro dos sintomas mais conhecidos, é a mistura da água com o oleo, um dos sinais é o aspecto do oleo, este começara a ficar com um aspecto baço e amarelado.

Caso verifique algum destes sinais, leve o carro a um mecânico o quanto antes, pois o agravar do problema, pode fazer com que o motor fique gripado, o que fica bem mais caro, do que a substituição da junta da cabeça.