FCA e PSA

Segundo alguns relatos, a FCA e a PSA, estão a estudar uma possível fusão, que poderia criar uma gigante do sector automóvel.

O Wall Street Journal, relata que uma das possibilidades que os dois lados estão a discutir, é uma fusão de iguais proporções. Ou seja, o presidente da PSA, Carlos Tavares, passaria a ser o CEO das diferentes marcas, enquanto John Elkann, presidente da FCA, assumiria a mesma posição, mas na nova empresa.

Já subscreveram o nosso canal no Youtube?

As negociações entre a Fiat Chrysler e o Grupo PSA, são fluidas neste momento, existindo ainda várias opções em consideração. Isto significa, que ainda não há garantias, de que os dois fabricantes acabem mesmo por fechar negócio.

As negociações relatadas, começaram apenas alguns meses depois, de a Fiat Chrysler, ter retirado a sua oferta de fusão com a Renault, um acordo que se desfez após o governo francês, que detém 15% da empresa, e o parceiro de aliança, a Nissan, não terem apoiado a proposta.

Desde então, a Fiat Chrysler Automobiles, deixou a porta aberta para a Renault retomar as negociações, mas sem sucesso. A PSA já havia abordado a FCA no início deste ano, sobre a combinação das duas empresas, mas a Fiat Chrysler recusou a oferta.

Uma união entre a Fiat Chrysler e a PSA, criaria um gigante do sector automóvel. As duas marcas venderam mais 8,7 milhões de veículos no ano passado, o que as colocaria na quarta posição, na lista dos maiores grupos do sector automóvel, ficando ligeiramente à frente da General Motors, que vendeu 8,4 milhões de veículos.

Carlos Tavares, presidente da PSA, manifestou interesse em se expandir nos EUA, uma região onde as marcas francesa estão ausente há quase três décadas. Uma ligação com a FCA, poderia acelerar esses planos e ajudar a obter um acesso muito mais amplo ao mercado dos EUA.

Uma fusão entre estas marcas, faria com que o grupo vendesse quase tantos veículos na Europa quanto a Volkswagen, que ocupa o primeiro lugar da região, com uma participação de mercado de 24%.