ford puma

Pois bem, foi mesmo isso que a Ford nos apresentou neste ano de 2020. Lançando pela primeira vez um modelo com a designação Puma em 1997, numa versão coupé, que se baseava no modelo Fiesta da altura, 23 anos depois, a marca decide relançar o modelo… no segmento B-SUV.

Num segmento já “sobrelotado” e com modelos bem queridos do consumidor português, como é o exemplo do Peugeot 2008, Nissan Juke e, onde se juntam ainda, o Volkswagen T-Cross e o Renault Captur, que viu a sua cara completamente lavada no início do ano, será que o novo Puma tem trunfos para vingar?

Já subscreveram o nosso canal no Youtube?

Disponível para compra, encontra-se apenas a motorização 1.0 a gasolina, aliada a um sistema mild-hybrid, com caixa manual de 6 velocidades. O Puma, apresenta-se em 3 versões: Titanium, ST-Line e ST-Line X, onde os preços começam nos 23660€ para a versão de entrada de gama, podendo ir até os 26660€ para o topo da gama.

O destaque deste modelo, é mesmo este sistema mild-hybrid, aliado a um motor de tão baixa cilindrada… Mas afinal o que é o mild-hybrid?

É uma unidade elétrica que além de substituir o alternador, traz vantagens na circulação, pois ajuda o veículo no arranque em baixas velocidades e em andamentos de velocidades superiores, refletindo-se assim, num aumento de potência e numa baixa de consumos. 

Além das vertentes diretamente ligadas ao andamento do veículo, esta unidade auxilia em diversos aspetos: alimenta os sistemas mais simples do automóvel como vidros elétricos, direção assistida, sistemas de infotainement, entre outros.

Torna-se um fator vantajoso, pois o motor de combustão fica mais direccionado para o andamento do veículo. Este sistema é prático, pois não existe a necessidade de carregar o veículo num posto físico, já que este, alimenta-se automaticamente na energia obtida na travagem e na desaceleração.

Este sistema, resulta num combinado capaz de desenvolver 125 cavalos de potência e consumos combinados de 5.5 L/100 km, valores anunciados pela Ford.   

Posto isto, será que a Ford finalmente conseguiu a receita para o sucesso, ao contrário do que aconteceu com o EcoSport, de forma a tirar partido deste segmento, ou será que o desenvolvimento do Puma a partir da plataforma do Fiesta, como aconteceu na 1ª geração, será um igual fracasso de vendas?

Texto de: Paulo Leão (@paulojleao)