combustíveis sintéticos

A Porsche está a trabalhar, para ser o principal cliente de um novo projeto piloto, que visa iniciar a produção de combustíveis sintéticos, também conhecidos como eFuels. Esta é uma forma, de a marca alemã, testar as capacidades inexploradas desta tecnologia.

A fábrica criada no Chile, chamada de Haru Oni, ​​irá produzir 130.000 litros para teste em 2022, subindo para 55 milhões de litros em 2024 e 550 milhões de litros em 2026. Tudo isto, se o desenvolvimento e os resultados finais, correspondam às expectativas da Porsche.

Já subscreveram o nosso canal no Youtube?

A marca de Estugarda será o principal cliente da fábrica sul-americana, embora ainda não esteja claro, como é que o combustível irá ser transportado entre o Chile e a Europa.

O eFuel será produzido inteiramente com energia eólica, pois as instalações beneficiam de ventos fortes quase constantes, o que permite ter uma boa fonte de energia renovável.

O governo alemão também investiu cerca de 8 milhões de Euros no desenvolvimento de combustíveis sintéticos, para que caso esta tecnologia vingue, a Alemanha se tornar num líder mundial antes que a demanda realmente suba.

O hidrogénio é gerado pela primeira vez utilizando energia eólica e em seguida, ele é combinado com o CO2 filtrado diretamente da atmosfera, para criar um metanol sintético, que pode ser convertido em gasolina, por um processo pertencente e licenciado, pela gigante do petróleo, a ExxonMobil.

A queima de combustíveis sintéticos ainda produz CO2, mas com muito menos emissões de partículas.

Os combustíveis sintéticos tornaram-se cada vez mais importante nas estratégias de carbono zero na Europa. Com as proibições dos motores de combustão interna a serem planeados para 2030, a indústria automóvel não tem muito tempo, para apresentar uma solução, que permita a carros mais antigos, continuarem a ser utilizados em algumas cidades da Europa.

A Porsche investiu cerca de 20 milhões de Euros neste projecto, para poder começar a utilizar este tipo de combustível nos seus carros de teste, de forma a que dentro de alguns anos, o possa utilizar na sua gama de modelos (novos e antigos).