porsche 911 rsr

Existem alguns carros que permanecem no anonimato absoluto durante o seu tempo de vida. No entanto, existem outros que têm uma história de vida incrível. É o caso deste Porsche 911 RSR de 1974, que para além de ter tido como dono o antigo campeão mundial de Fórmula 1, Emerson Fittipaldi, for ainda comprado, por um dos maiores traficantes de droga do mundo, Pablo Escobar.

Este carro com pintura amarela, nasceu para participar na Corrida Internacional dos Campeões. Foram produzidos 14 e este exemplar, acabou por ser adquirido pelo bicampeão de F1 brasileiro. No entanto, este carro acabou por não ganhar a corrida, pois embora tenha conseguido a pole position, acabou por não terminar por falta de combustível.

Já subscreveram o nosso canal no Youtube?

Depois da má impressão na Corrida Internacional de Campeões, o Porsche foi vendido e acabou por participar nas 24 Horas de Daytona em 1978, conforme revela o catálogo da duPont Registry. Após este breve interlúdio, o 911 RSR mudou de donos várias vezes, até encontrar um lugar na garagem do narcotraficante Pablo Escobar.

Este, levou o Porsche 911 para a pista para disputar quatro corridas do campeonato Copa Renault 4, na Colômbia. O destino, porém, não parou de surpreender o brilhante carro alemão, pois após a morte do “Rei da cocaína”, ele acabou por ser guardado num armazém, antes de partir para os EUA, onde Roger Penske, tratou do restauro do carro.

Após o restauro, o Porsche 911 RSR recuperou a sua imagem original, recuperando a sua pintura amarela de 1974 com a qual competiu na Corrida Internacional de Campeões. Dada a sua incrível “vida”, o carro foi avaliado em 2,2 milhões de dólares e agora que está à venda, certamente será objecto de desejo de algum colecionador, que não hesitará em levá-lo para casa.