plataforma de tracção traseira

A FCA tinha grandes planos para a plataforma Giorgio, o investimento de vários milhões, foi sustentado com o objectivo de esta plataforma de tracção traseira, ser usada em pelo menos 15 modelos ao longo de todas as marcas do grupo. No entanto, depois destes anos todos, ela foi apenas utilizada nos modelos Giulia e Stelvio.

O CEO da Alfa Jean-Philippe Imparato, confirmou que a marca vai descartar a plataforma de tracção traseira por completo, pois esta, nunca foi desenvolvida com a eletrificação em mente. Assim sendo, os futuros modelos da marca, serão desenvolvidos sob a plataforma STLA-Large de Stellantis.

Já subscreveram o nosso canal no Youtube?

A plataforma Giorgio não será totalmente abandonada pela Stellantis, pois existem planos para que esta seja modificada, de forma a ir ao encontro dos objectivos do grupo, ou seja, para que no futuro, seja desenvolvida uma plataforma que permita ter tracção traseira, em conjugação com a electrificação dos modelos.

Num futuro mais imediato, espera-se que o Maserati Grecale use a plataforma Giorgio, enquanto o Giulia e o Stelvio, ambos introduzidos em 2016, ainda têm alguns anos de vida restantes. É uma pena que os dois modelos sejam efectivamente únicos, pois existiam grandes expectativas, de que a plataforma Giorgio, representasse o renascimento da Alfa Romeo.

Desta plataforma estavam previstos novos modelos, onde se incluia um concorrente directo ao BMW Serie 5 e consequentemente ao M5, um novo GTV e um novo desportivo, que seria ao que tudo indicava, um novo 8C. Esperava-se ainda, que a Alfa Romeo passasse a utilizar os motores V6 provenientes da Ferrari em alguns dos novos modelos.

Infelizmente com a criação da Stellantis, todos estes projectos vão aparentemente ficar na gaveta e dos modelos já previstos, fica apenas o crossover Tonale, cujo lançamento foi adiado para Novembro.