BMW Serie 4

A procura por coupes e descapotáveis caiu nos últimos anos, pois as pessoas parecem procurar carros mais práticos, o que faz, com que modelos com linhas mais exóticas e desportivas, não representem uma grande expressão no número de vendas das marcas. Um modelo não sendo lucrativo, leva a que a marca estude a sua viabilidade a longo prazo.

Segundo a publicação australianaWhichCar, a BMW encontra-se a estudar a viabilidade do Serie 4 nas versõesCoupe & Convertible, assim como, do Serie 8, também nas versõesCoupe & Convertible. Segundo esta publicação, estes modelos não terão uma nova geração e em 2026, deverão ser fundidos num novo modelo, que deverá ser a nova geração do Serie 6.

Este tipo de abordagem não é nova, a própria Mercedes tomou recentemente decisões nesse sentido, matando oAMG GT Roadster, assim como, o Class C Coupe e o Class E Coupe, que darão lugar a um novo modelo, o CLE.

Já subscreveram o nosso canal no Youtube?

Embora o Serie 6 ainda ande por aí, este é um modelo com pouca expressão na gama da BMW, pelo que, concentrar o ADN do Serie 4 e do Serie 8 no Serie 6, irá fazer com que os modelos não se canibalizem uns aos outros, tornando a escolha do cliente mais curta, o que deverá na teoria, resultar num maior número de vendas do futuro Serie 6.

Embora a publicação daWhichCar não refira nada sobre oSerie 4 Gran Coupe, sobre o Serie 8 Gran Coupe, é sugerido que este seja transformado numa espécie de Serie 7 Coupe, uma versão mais desportiva e igualmente luxuosa, destinada a quem quer um Serie 7, mas pretende algo mais arrojado e não tão formal, como o executivo alemão.

Outra das questões que ficou no ar, foi relativamente às versões M, pois se deixarmos de ter Serie 4, deixamos automaticamente de ter um M4, que é o representante espiritual, de um dos modelos icónicos da marca, o M3 Coupe. Poderá isto querer dizer, que iremos voltar a ter um Serie 3 Coupe, assim como um M3 nas versões Sedan e Coupe?

É certo que isto tudo são rumores, resultantes das interpretações das declarações do CTO da marca à publicação australiana, mas confirmando esta estratégia, é sinal que mais modelos da marca venham a levar com o machado e o seu futuro possa ser mais curto do que o esperado.

Fonte:WhichCar