armazenamento de hidrogénio

Enquanto o mercado dos carros elétricos está em crescendo, o hidrogénio tem dado passos largos, de forma a se poder afirmar como uma solução válida na era da mobilidade ecológica. A Toyota, tem sido a marca que mais parece ter apostado no hidrogénio, tendo mesmo, apresentado soluções utilizando a célula de combustível, assim como, motores a combustão de hidrogénio.

Mas com o tempo, mais marcas têm vindo a apostar nesta tecnologia, de forma a desenvolver soluções de forma a ultrapassar alguns obstáculos que vão aparecendo. Exemplo disso, é o consórcio liderado entre a BMW e a Bosch, que tem vindo a trabalhar em conjunto, no desenvolvimento de soluções para alguns dos problemas do hidrogénio.

Já subscreveram o nosso canal no Youtube?

Dentre as principais restrições relacionadas com esta tecnologia, está o tamanho do tanque de armazenamento de hidrogénio, este representa um dos principais desafios para o desenvolvimento e generalização desta tecnologia. Esta é uma peça que ainda hoje é cara de fabricar e o seu tamanho, faz com que seja difícil de adaptar ás arquitecturas existentes.

É nesse campo que o consórcio, chamado de FlatHyStorn, formado principalmente pelas marcas alemãs BMW e Bosch, se encontra a trabalhar. O objectivo, é desenvolver um tanque de armazenamento plano, em vez do oval utilizado actualmente.

A ideia é conseguir produzir tanques de armazenamento de hidrogénio com formato e tamanho comparáveis ao ​​das baterias dos carros elétricos, para poder integrá-los da mesma forma na parte inferior do carro, entre os dois eixos. Com esta abordagem, poderá haver um re-aproveitamento das plataformas já existentes, o que levará a que o custo de desenvolvimento e produção de um carro a hidrogénio seja mais barato.

Este consórcio é apoiado pelo governo alemão e pretende construir os seus primeiros protótipos até o final deste ano. Recorde-se ainda, que a BMW irá lançar este ano o modelo i Hydrogen NEXT, o seu primeiro veículo a hidrogénio, baseado no X5.