A4810

A Alpine, desenvolveu em conjunto com o Instituto Europeu de Design (IED), um novo concept com via ao desenvolvimento de um futuro super-carro movido a hidrogénio, que será revelado a 18 de março.

Chamado de A4810, o concept à escala real, foi projectado por 28 estudantes de mestrado em Design de Transporte do IED em Turim, como parte de um projecto de tese e que teve o apoio oficial do fabricante francês de carros desportivos.

O objectivo deste carro de dois lugares, é representar “uma resposta ao novo conceito de desportividade” e o apoio da Alpine, sugere que pode haver uma forte probabilidade deste projecto, servir mesmo de base a um futuro modelo da Alpine.

Já subscreveram o nosso canal no Youtube?

Embora a imagem disponibilizada não revele muito sobre o carro, um elemento definidor de seu design, será um visual totalmente novo, incluindo uma barra de luz LED em forma de W, que envolve a frente do carro e novos faróis mais finos, que nos transportam para uma reinterpretação moderna das linhas do Alpine A110.

O front spliter proeminente e os arcos das rodas mais sobressaídos, fazem vislumbrar linhas de um possível super-carro, ou de um modelo exclusivo para uso em pista.

Embora tenhamos que esperar até 18 de Março para saber um pouco mais sobre este concept car, analisando a linha temporal da Alpine e os seus planos para o futuro, pode fazer com que este concept possa vir a ser mais importante do que aquilo que possamos pensar.

Por um lado, existe uma forte possibilidade para que o seu design possa vir a ser desconstruído, para que possa servir de base, para o design do novo Alpine A110 totalmente eléctrico, que deverá ser lançado em 2026.

E por outro, pode servir de rampa de lançamento para a tecnologia de célula de combustível, alimentada a hidrogénio, algo em que o grupo Renault tem vindo a trabalhar. A criação deste projecto, pode servir para testar a arquitectura da marca francesa e a sua adaptação a modelos de cariz mais desportivo, que possam vir a ser utilizados quer na competição, como no mundo “real”, com o lançamento de novos desportivos movidos a hidrogénio.