pastilhas de travão

A troca das pastilhas de travão, faz parte da manutenção periódica de um carro e embora a sua troca não seja tão frequente, quanto a de outros componentes, quando efectuarmos a sua troca, devemos ter alguma atenção na sua substituição.

Embora por vezes possamos desvalorizar a importância das pastilhas de travão, estas são dos componentes mais importantes de um carro, pois são elas que irão fazer com que este consiga parar em segurança.

No momento da sua troca, não devemos ser “tacanhos” e olhar apenas ao preço, pois por vezes, optar por umas de menor valor que não se adequam ao nosso carro ou ao nosso estilo de condução, pode trazer um amargo de boca, quando necessitarmos que estas cumpram a sua função da melhor forma.

Para nos ajudar a escolher as pastilhas de travão mais adequadas, devemos antes de mais, saber que existem diversos tipos que se adequam a diferentes cenários e tipos de utilização.

Já subscreveram o nosso canal no Youtube?

Orgânicas

As pastilhas de travão orgânicas são fabricadas a partir de fibras de vidro, borracha natural, Kevlar e fibras de carbono. Estas são mais suaves e silenciosas, no entanto, não são a melhor opção para uma condução mais exigente, pois não oferecem um bom desempenho quando, por exemplo, temos que transportar um reboque ou efectuamos percursos longos em planos com elevado declive, pois têm uma menor resistência ao stress (calor) e o seu desgaste é mais rápido.

Semi-metálicas

As pastilhas semi-metálicas são constituídas por metais macios (lã de aço, pó de ferro ou cobre misturados com cargas inorgânicas), estas melhoram a travagem, pois aumentam o atrito feito no disco. Embora tenham uma boa resistencia ao stress (calor) e terem uma maior duração, o atrito causado por este tipo de pastilha, irá diminuir a vida útil dos discos de travão, provocando um maior desgaste, quando comparado com as pastilhas de travão orgânicas.

100% metálicas

Diferente das pastilhas orgânicas ou semi-metálicas, este tipo de pastilhas de travão representa um aumento de eficiência na travagem, qualidade, mas também no preço. Como são completamente metálicas oferecem uma boa travagem em qualquer condição do carro, embora também desgaste mais rapidamente os discos de travão.

Cerâmicas

Estas são pastilhas feitas a partir de fibras cerâmicas, materiais não ferrosos, agentes de união com pequenas quantidades de metal. Este é o tipo de pastilhas mais caras, embora ofereçam uma duração mais longa, são também aquelas que aguentam um maior stress, sem que existam perdas de eficiência durante a travagem. Dado que não têm componentes metálicos, o seu desgaste não origina sujidade, o que acaba por não contaminar as jantes.

A duração das pastilhas varia com o estilo de condução e o seu tipo, caso não saiba ver se o seu carro necessita de pastilhas novas, poderá consultar o manual da viatura e verificar qual o intervalo de manutenção adequado para este componente. Em condições normais, um conjunto de pastilhas de travão, devem durar em média 30000kms, enquanto que os discos têm uma duração mais longa, podendo passar os 60000km.

No momento de trocar as pastilhas de travão, recomendamos que escolha umas adequadas à sua condução, ou caso não saiba quais são as melhores para si, consulte o seu mecânico ou opte por aquelas que a marca equipa de origem na viatura.