marcas de automóveis

Sempre que olhamos para as marcas de automóveis, tentamos entender o seu significado, por vezes é o nome de um dos seus fundadores, outras vezes são nomes ou acrónimos, que à primeira vista não têm grande sentido, mas lá no fundo são o significado de alguma coisa.

Com o aparecimento em peso das marcas asiáticas, mais propriamente das marcas chinesas, damos por nós a olhar para marcas novas, que na verdade não sabemos nada sobre elas. Por isso mesmo, vamos olhar para as marcas de automóveis existentes no mercado e tentar entender o seu significado.

Começando pelas marcas de automóveis mais clássicas, temos marcas como Ferrari, Lancia, Maserati, Lamborghini, Bugatti, Citroën, Peugeot, Renault, Opel, Porsche e Maybach, apontam para o nome dos seus fundadores.

Já a Mercedes tem uma história também ela curiosa, pois embora seja uma marca alemã, tem um nome latino que remonta a antes da fusão da Benz com a Daimler e foi introduzido pelo cônsul austro-húngaro Emil Jellinek, entusiasta de corridas e colaborador da Daimler. Ele utilizava o nome Mercedes para batizar os carros que pilotava, dando-lhes uma reputação que levou a sua extensão a todos os produtos do grupo. Este era também o nome da sua terceira filha, Adriana Manuela Ramona, que foi assim baptizada para homenagear “Maria des Mercedes”, uma princesa espanhola.

Já subscreveram o nosso canal no Youtube?

Já a Audi tem também uma origem curiosa, August Horch fundador da marca, expulso em 1910 da direcção da empresa da Horch, que ele mesmo havia fundado, ao não poder usar seu próprio nome para baptizar outra empresa, optou por traduzir o seu nome para o latim, Horch que em alemão quer dizer “ouvir”, tornou-se “Audi” depois de convertido.

No caso da Volvo, a história do seu nome também surge com base na tradução de uma palavra. Tendo começado como uma empresa de rolamentos, Gustav Larson e Assar Gabrielsson, escolheram o nome latim “volvere”, para baptizar a sua empresa, que depois passou para Volvo, quando se lançaram na industria automóvel.

Também com origens latinas no nome temos a Lexus, onde a A Toyota, optou por baptizar a sua marca de prestígio por causa de sua semelhança com a palavra “luxus”, que significa “luxo”.

Depois temos marcas que surgem como homenagem a pessoas ou coisas. A Aston-Martin, criada por Bamford e Martin, tem a origem do seu nome para comemorar a vitória do segundo piloto na London-Aston Hill Climb de 1914. Em contraste, o francês Jean Rédélé , fundador da Alpine, inspirou o nome da sua marca, nas montanhas onde que ele adorava conduzir os seus carros desportivos, baseados em modelos da Renault. Já a Tesla, tem o seu nome como homenagem ao físico Nikola Tesla.

Por fim, entramos nas marcas cujo o nome são acrónimos e que muitas vezes parecem apenas um conjunto de letras sem sentido. Nesta categoria de marcas temos algumas muito conhecidas e já instauradas no nosso mercado, como é o caso da Alfa, da Fiat ou da BMW.Mas depois, temos algumas mais recentes como é o caso da DS, que tem como significado “Diferentes Style”, mas que ao mesmo tempo faz referência ao inovador Citroën DS dos anos 1950.

Na mesma linha encontramos a Cupra, que originalmente era uma contração de Cup Racing, as versões desportivas da Seat, mas que ao mesmo tempo, tem alguma semelhança com o nome latino “cupra”, derivado do verbo “cupire”, que significa desejar.

Já entrando nas associações mais estranhas, temos as marcas chinesas, onde por exemplo a marca Aiways, nascida em Xangai, obteve o seu nome através da união das palavras “high” e “ways”, com uma óbvia alusão às grandes autoestradas americanas. Já a nova marca chinesa BYD , cuja sigla sintetiza a frase “Build Your Dreams”.